×
Siga-nos:
Classe Contábil
PUBLICADO 6 meses ATRÁS.

O que você precisa saber para abrir uma empresa

Dois terços dos brasileiros (66%) querem abrir a própria empresa para ter mais liberdade e autonomia. É o que mostra uma pesquisa realizada pela MindMiners, encomendada pelo PayPal, que fez um raio X do empreendedorismo no Brasil. E por isso, é fundamental a escolha de um bom contador ou escritório de contabilidade para que você possa abrir sua empresa e realizar a entrega de todas as obrigações previstas na legislação. O Classe Contábil conversou com Aristeu Tolentino, contador da Prolink Contábil, e outros especialistas para esclarecer as principais dúvidas de quem quer empreender e se manter em dia com o Fisco.

Créditos: Pexel

Quais documentos são necessários para abrir uma empresa?

São necessários documentos básicos dos sócios, como RG, CPF e endereço. Alguns dados são apenas informados para órgãos governamentais, como inscrição imobiliária do imóvel, contrato de locação, cessão ou posse, regime de casamento dos sócios (algumas juntas comerciais exigem a certidão de casamento) e passou-se a exigir a comprovação de origem do capital social quando integralizado por menor representado, sendo o recolhimento do ITCMD (imposto estadual sobre doações) o mais utilizado. Amauri Liba, professor de Ciências Contábeis Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (Fecap), lembra que é importante o empreendedor saber se o local onde ele pretende abrir a empresa tem autorização para exercer sua atividade ali antes de entrar com o pedido para não perder tempo, nem dinheiro.

Quais órgãos o empreendedor precisa abrir registro?

  • Jucesp ou cartório: Onde será registrado o contrato inicial da empresa (constituição);
  • Receita Federal: Onde será constituído o CNPJ da empresa;
  • Prefeitura Municipal: Onde será constituída a inscrição imobiliária da empresa;
  • Caixa Econômica Federal: Onde será criado o vínculo ao FGTS;
  • Conselho de classe (se for o caso): Cremesp, Crea, CRM, CRA e etc;
  • Secretaria da Fazenda: No caso da empresa ser passível de inscrição estadual;
  • Sindicato: Onde será constituída a inscrição sindical.

 

Renan Barabanov de Assis, coordenador de Graduação em Ciências Contábeis da Faculdade Fipecafi, explica que os documentos variam de acordo com o tipo de empresa, porte e atividades desenvolvidas. “Empresas de comércio, por exemplo, precisam efetuar o registro na Junta Comercial, na Receita Federal, na Secretaria da Fazenda do Estado, na Prefeitura Municipal e na Caixa Econômica Federal. Já algumas atividades e indústrias exigem, também, Vigilância Sanitária e Cetesb, enquanto entidades de prestação de serviços necessitam, adicionalmente, efetuar sua abertura no Cartório de Registro Civil e no órgão de classe correspondentes. Já o Microempreendedor Individual (MEI) pode formalizar sua abertura no próprio site do MEI, além dos órgãos federais, estaduais e municipais, além da Caixa Econômica Federal, eventualmente podendo necessitar, também, de Vigilância Sanitária e Cetesb. No entanto, o professor Wagner Pagliato, coordenador do Curso de Ciências Contábeis da Universidade Cidade de São Paulo (Unicid), reforça que “toda empresa precisa ter um contador responsável, pois o nome e o registro dele será solicitado em várias fases do processo”.

O que enviar mensalmente para a contabilidade?

Após abrir sua empresa é preciso manter-se em dia com o Fisco, por isso, é importante enviar ao contador os documentos que terão impacto no financeiro e/ou no patrimônio da sua empresa, de forma direta ou indireta. Os principais documentos que sempre deverão ser disponibilizados pela contabilidade são:

  • Guias de impostos trabalhistas: inclui INSS, FGTS, sindicatos, entre outros;
  • Informações salariais: todos os recibos de pagamento devem ser enviados, como folha de pagamento, folha do ponto (registro das horas trabalhadas), férias, vale-tTransporte e alimentação, atestados médicos, entre outros;
  • Todas as notas fiscais: tanto as notas de entrada quanto as de saída devem ser enviadas, assim como de serviços prestados e tomados, CT-e, entre outras;
  • Notas fiscais de telefonia, energia elétrica, aluguel, entre outros;
  • Arquivos fiscais eletrônicos: esses documentos incluem a Redução Z de impressoras ECF, Sped Fiscal e XML’s de todas as notas fiscais;
  • Pagamentos dos impostos: comprovante de pagamento da DAS, Darf, Gare e GNREs;
  • Extratos: incluem extratos bancários, de aplicações, cartões de credito, empréstimos, entre outros;
  • Recibos e contratos: inclui locação, honorários, despesas diversas e contratos a pagar;
  • Comprovantes financeiros diversos, tanto de despesas quanto de receitas;
  • Arquivos financeiros eletrônicos do OFX e controle de caixa;
  • Livro inventário do estoque.

Atenção! Podem existir outros documentos conforme as legislações municipais e estaduais do seu negócio. Por isso, é importante conversar com seu contador e alinhar como cada documento deverá ser enviado.

 




COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

*Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Leia também

Receba gratuitamente nosso informativo de artigos e notícias em seu e-mail