×
Siga-nos:
Classe Contábil
PUBLICADO 6 meses ATRÁS.

Seis razões para o empreendedor aderir ao MEI

O empreendedorismo tem sido uma boa forma para driblar os índices de desemprego e de buscar oportunidades de novos negócios. E uma das maneiras de deixar de trabalhar na informalidade e de se regularizar no mercado é tornar-se um microempreendedor individual (MEI). Atualmente, no país há mais de 7,7 milhões de MEIs formalizados divididos em aproximadamente 500 profissões, entre elas artesãos, pintores, chocolateiros, boleiros, manicure, depiladoras, diarista, cuidador de animais, entre outras.

Créditos: Pexel

1º razão: Menor burocracia

O MEI é uma forma de empreender sem burocracia e ideal para aquele empresário que fatura até R$ 81 mil por ano e não tem participação em outra empresa como sócio ou titular. Para se tornar um MEI, o primeiro passo é fazer uma consulta prévia na prefeitura de seu município para saber se é permitido abrir um negócio no local desejado. A partir dessa permissão, o empresário deve acessar o Portal do Empreendedor e fazer seu registro para obter o CNPJ. O programa desburocratiza o processo por completo, e você pode, após preencher as informações da sua empresa, sair com o CNPJ na hora. O próximo passo é requerer, junto à prefeitura, o alvará de funcionamento e, quando exigido, um alvará da vigilância sanitária.

2º razão: Menos tributos

Que o pagamento de tributos é uma dor de cabeça, isso ninguém discorda. Sendo MEI, o empreendedor não precisa se preocupar com isso porque há isenção de impostos federais e redução de taxas e custos.

3º razão: Benefícios previdenciários

O MEI tem cobertura da Previdência Social em alguns benefícios. Ele pode se aposentar por idade ou por invalidez, receber auxílio-doença e salário-maternidade. Sua família ainda terá, desde o primeiro pagamento, os benefícios de pensão por morte e auxílio-reclusão.

4º razão: Facilidade na obtenção de créditos

Muitos bancos têm linhas de crédito em condições especiais para o MEI, assim como menores tarifas e taxas de juros. Se o MEI tiver as informações financeiras organizadas poderá ainda se beneficiar com acesso a mais linhas de crédito e a um custo mais barato. Essa inclusão bancária permite uma melhor separação do que é da empresa e o que é do empresário, e isso também ajudará no seu crescimento com as finanças organizadas.

5º razão: Emissão de notas fiscais

O MEI pode emitir notas fiscais quando realizar vendas ou prestar seus serviços. Isso gera uma série de oportunidades de crescimento, como fornecer para o setor público ou para grandes empresas, que exigem a emissão de documento fiscal. No entanto, embora o MEI tenha acesso à emissão de notas fiscais, ele fica desobrigado caso o cliente seja pessoa física nas operações dentro do seu Estado.

6º razão: Contratação

Apesar de o MEI ser um tipo de empresa individual, ele pode registrar um empregado, desde que ele receba salário-mínimo ou o piso da categoria. Se o negócio crescer e precisar expandir e contratar novos funcionários, o MEI deverá comunicar o seu desenquadramento para o governo.




COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

*Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Leia também

Receba gratuitamente nosso informativo de artigos e notícias em seu e-mail