×
Siga-nos:
Classe Contábil
PUBLICADO 7 meses ATRÁS.

Quatro grandes desafios para se abrir uma empresa no Brasil

Empreender no Brasil não é uma tarefa fácil. Deixar um emprego com carteira assinada ou até mesmo o serviço público para abrir um negócio próprio é uma das grandes dúvidas do brasileiro hoje. Ainda mais quando se fala dos tempos de turbulência política e econômica. Afinal, quem sonha em abrir uma empresa sabe como começar do zero é uma jornada repleta de desafios. É por isso que o Classe Contábil reuniu especialistas no assunto para debater sobre esses desafios. Confira abaixo as dicas e recomendações para quem está começando.

Créditos: Pexel

Burocracia

Não basta conhecer o próprio negócio, é preciso estar pronto para lidar com a burocracia governamental. Isso, porque, de acordo com o professor Renan Barabanov de Assis, coordenador de Graduação em Ciências Contábeis da Faculdade Fipecafi, a falta de entendimento dos trâmites legais e contábeis pode fazer com que uma empresa não seja registrada em determinado órgão, o que impedirá a produção e envio de algumas informações obrigatórias, podendo gerar juros, multas e até mesmo impedindo seu funcionamento.

O professor Wagner Pagliato, coordenador do Curso de Ciências Contábeis da Universidade Cidade de São Paulo (Unicid), ainda lembra que “atualmente, a Prefeitura de São Paulo solicita primeiro o endereço para verificação da possibilidade de abrir o negócio. Ou seja, corre-se o risco de alugar um local e não poder abrir o negócio”. Sendo assim, todos concordam sobre a importância de um profissional contábil que colabore com as necessidades de cada empresa afim de direcionar seus donos no melhor caminho a seguir.

Plano de negócios

De acordo Aristeu Tolentino, contador da Prolink Contábil, um desafio bastante comum é “o planejamento inicial onde consiga atender as necessidades do público alvo e se manter no meio de tanta burocracia e o complexo sistema tributário do Brasil”. Ponto defendido pelo professor Amauri Liba, professor de Ciências Contábeis da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (Fecap), que diz ser fundamental a “elaboração de um plano de negócios completo em que seja identificado claramente qual é o público alvo e os caminhos para alcançá-lo, com metas e objetivos”.

Camila Pacheco, consultora da Blue Numbers, diz que às vezes o empreendedor escolhe um ramo porque está na moda ou porque conhece alguém que está ganhando dinheiro com aquela operação e não necessariamente porque é algo com o qual se identifica. “Isso não é bom. Ele precisa conhecer as nuances do seu mercado, e isso inclui todos os impostos e burocracias, além de estudar e analisar seu público para colocar na ponta do lápis seus custos e, assim, identificar suas metas, o quanto ele deverá vender, por exemplo, para se pagar e ter lucro”, conclui.

Capital inicial

Liba lembra que é importante que o primeiro estoque do novo negócio, assim como as instalações e suas despesas, não sejam financiadas por um banco, mas pelo investimento dos sócios. “Esse tempo é suficiente para seu negócio ganhar fôlego e alavancar”, concorda Camila, da Blue Numbers.

A empresária ainda reforça que “é muito importante ter na ponta do lápis o dinheiro que será investido. Isso deve considerar a equipe para começar a operar, energia elétrica, gás, telefone, gasolina, entre outros”. Um erro comum cometido nessa etapa é priorizar somente coisas como equipamentos, reformas e mobiliário e acabar se esquecendo de pequenos detalhes que fazem toda a diferença, como internet, aparelho de telefone, TV por assinatura, taxas, impostos, entre outros. Assim, é fundamentar estar preparado para possíveis imprevistos, como um vazamento. Preste atenção nessas variáveis e se programe para manter o investimento seguro, evitando sustos e o endividamentos.

Custos para abrir uma empresa

De acordo com o professor Renan, da Fipecafi, isso dependerá dos órgãos a serem registrados, assim como as atividades da empresa, o local e as dificuldades relacionadas ao processo de abertura. Ele cita como exemplo locais de zoneamento e requisitos específicos e/ou atividades com características ambientais. “Em geral, profissionais e prestadores de serviços cobram valores entre R$ 1 mil e R$ 6 mil para executar a tarefa. O mais seguro é sempre procurar o auxílio de um profissional contábil, que possa auxiliar nas dúvidas e encaminhamentos, bem como nas exigências e obrigações contábeis futuras”, afirma.




COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

*Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Leia também

Receba gratuitamente nosso informativo de artigos e notícias em seu e-mail