×
Siga-nos:
Classe Contábil
PUBLICADO 1 ano ATRÁS.

Pergunta #519468

PERGUNTA FEITA POR Victor Venicius Araujo Santiago

Supondo que um MEI é organizado e mantém sua gestão própria e ele têm conta bancária de Pessoa Jurídica, daí ele recebe R$5.000 no mês sendo todo o valor recebido por ele foi depositado nessa sua conta. Ele guarda suas notas fiscais de entrada dos materiais que usou para prestar os serviços no mês e também guarda outras documentações que comprovam suas despesas e o valor deu R$1.000. Ele foi orientado e sabe que pode distribuir como valor isento 32% sobre sua receita, daí ele faz as contas e chega a R$1.600 de parcela isenta, daí faz os cálculos e chega a seguinte conclusão:

R$5.000 – R$1.000= R$4.000

R$4.000 – R$1.600= R$2.400

Então da sua conta Pessoa Jurídica ele retira os R$1.000 para quitar as despesas, e os R$4.000 restantes ele transfere para sua conta de Pessoa Física, porém desses R$4.000 tem R$1.600 isentos e os R$2.400 restantes são tributáveis daí não teria o MEI que fazer o DARF 0190 e pagar? Ou o MEI somente estará sujeito ao pagamento de IR ao final do ano quando vier a fazer a Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda? Se for este último caso, o DARF com o código específico para este caso será gerado no próprio sistema DIRF, correto?

Porém neste vídeo, https://www.youtube.com/watch?v=OnqwNmFsfsc, mais ou menos no tempo 2m45s o contador fala que deveria recolher o IR no mês em que ocorreu o fato gerador.

ÁREAS DE CONHECIMENTO: Outras Áreas

RESPOSTAS

sem foto
#519469

Victor. Como já lhe disse não existe DARF para recolhimentos avulsos. Tudo já está incluido no DAS, nada mais.

Cariacica | ES Há 1 ano

Deixe uma resposta

*Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Receba gratuitamente nosso informativo de artigos e notícias em seu e-mail