×
Siga-nos:
Classe Contábil
PUBLICADO 2 anos ATRÁS.

Micro e pequenos industriais tem maior satisfação com suas empresas desde janeiro

SÃO PAULO – A satisfação dos micro e pequenos industriais do Estado de São Paulo com os seus negócios alcançou em julho o seu maior índice desde janeiro deste ano. Isto é o que aponta a última pesquisa do DataFolha encomendada pelo Sindicato da Micro e Pequena Indústria de São Paulo (Simpi), realizada entre os dias 14 e 27 de julho de 2016. As perguntas de avaliação remetem a junho e as de expectativas a agosto.

Segundo o levantamento, o índice de satisfação das micro e pequenas indústrias (MPIs) chegou a 87 pontos em julho, ante 74 de junho. Para esse resultado, é calculada a média entre a avaliação da empresa, que passou de 89 para 107 pontos, além do faturamento que avançou de 67 para 83 pontos. A margem de lucro, que também é considerada, subiu de 64 para 72 pontos.

Perguntados sobre a situação de suas empresas, 35% dos donos das MPIs responderam que o momento é ótimo ou bom, sobre 29% registrado no mês anterior. Os que consideram a situação regular passaram de 32% para 38%. A mudança mais significativa ficou por parte dos que avaliam o momento como ruim ou péssimo. Na passagem de junho para julho, esse índice caiu de 40% para 28%.

Em relação ao faturamento no mês anterior, a avaliação negativa teve queda, mas continua com índice alto. Em junho, 51% consideraram o valor ruim ou péssimo, e, em julho, o número baixou para 41%. Para 24%, o faturamento foi ótimo ou bom, índice superior aos 18% obtidos no levantamento anterior. A receita foi avaliada como regular por 35%, ante 30% do mês passado.

A margem de lucro foi considerada ótima ou boa por 16% dos empresários, enquanto que para 39%, o resultado foi regular. Já 44% responderam que o resultado foi ruim ou péssimo, número mais baixo desde janeiro deste ano.

Perguntados sobre a situação econômica do País, que é calculada bimestralmente, 88% avaliaram o momento como ruim ou péssimo. Apenas 2% consideram a situação ótima ou boa, enquanto que 9% a veem como regular.

“Quando pegamos os dados econômicos, todos eles apresentam uma continuidade da crise, mas numa velocidade de piora menor”, explica o presidente do Simpi, Joseph Couri.

A avaliação da situação política, que começou a ser calculada em maio deste ano pelo Simpi, aponta que 22% consideram o governo Temer ótimo ou bom até o momento. Para 49%, a gestão tem sido regular, enquanto que 14% consideram ruim ou péssimo. Já 14% não souberam responder.

Expectativas

O índice de expectativa das MPIs teve o seu melhor resultado desde setembro de 2014, quando atingiu 124 pontos. O resultado, que é a média entre avaliação da empresa, faturamento e margem de lucro ficou em 114 pontos no levantamento atual.

Para Couri, o quadro é extremamente difícil, mas a pesquisa reflete que existe um horizonte de expectativas por parte das MPIs. “O que vemos é um otimismo e uma torcida pela melhora. A expectativa é que se os alguns dados se concretizarem, teremos uma volta do crescimento da economia”, analisa. 

 




COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

*Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Leia também

Auditores vão contra Funrural

A Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Unafisco) entrou com Ação Civil Pública na Justiça Federal de São Paulo para barrar de imediato o perdão das multas tributárias

POR 10 horas atrás.

Receba gratuitamente nosso boletim de artigos e notícias em seu e-mail