×
Siga-nos:
Classe Contábil
PUBLICADO 1 ano ATRÁS.

Empreendedores apostam no comércio eletrônico de olho na expectativa de crescimento do setor

O comércio eletrônico prevê crescimento de 10% a 15% este ano. De olho nas boas expectativas de negócios, cresce o número de empreendedores dispostos a investir no comércio on-line. Mas é bom estar atento não só às vantagens, mas aos riscos do empreendimento, para não ficar no prejuízo. Segundo a analista Luciana Lessa, da Unidade de Mercado do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-MG), sempre surgem dúvidas sobre o funcionamento do e-commerce.

Ela explica que o e-commerce ou loja virtual nada mais é que toda negociação comercial de compra e venda realizada na internet. Nesse mercado, os pequenos negócios representam 90% dos empreendimentos, de acordo com pesquisa realizada em 2016 pelo Sebrae em parceria com a E-commerce Brasil.

Para quem quer abrir uma loja on-line, Luciana Lessa destaca que planejar bem pode se tornar o segredo do negócio. “Deve-se colocar tudo na ponta do lápis: quais são os custos, formas de pagamento, entrega e outros detalhes de atendimento”, destaca.

Segundo ela, uma das principais vantagens de vender pela internet é o custo operacional, que é menor devido ao baixo investimento inicial com funcionários, limpeza e impostos (o que impacta diretamente as lojas físicas). “Assim, o e-commerce possibilita preços mais atrativos e descontos melhores.”

Além disso, a analista do Sebrae Minas cita outros benefícios, como disponibilidade (loja aberta e produtos disponíveis para o cliente 24 horas por dia, sem nenhum custo adicional), informações sobre o produto (exibe marca, modelo, tamanho, peso, dimensões, fotos de qualidade e vídeos explicativos), acesso (qualquer pessoa, de qualquer lugar, a qualquer momento, desde que tenha acesso à internet, poderá comprar), prazo (construir uma estrutura on-line é mais rápido e menos burocrático), conforto (para comprar não precisa enfrentar trânsito, filas nos estacionamentos etc.), variedade (diversificação de produtos, preços e marcas disponíveis no mesmo lugar) e pagamento (condições e preços mais atrativos que nas lojas físicas).

CUIDADOS

Alguns fatores, como sistema antifraude, logística e atendimento, merecem muita atenção do empreendedor que deseja montar uma loja virtual. “Recursos necessários para a segurança das informações em rede é fundamental, pois dados como endereço e números bancários de clientes precisam estar seguros contra roubos e fraudes.

Além disso, a demora nas entregas ou até mesmo a não entrega de um produto pode ser o principal problema do seu negócio. Portanto, o empreendedor deve ter os produtos anunciados em estoque e prontos para a venda”, explica Luciana Lessa. “Lembre-se de que muitos consumidores se baseiam em experiências de outros clientes para escolher onde comprar. Por isso, comentários de insatisfação prejudicam as vendas.

Dicas importantes

» Utilize títulos chamativos: apresente o produto e, ao mesmo tempo, faça com que o cliente sinta a necessidade de tê-lo. Mas, cuidado, pois produtos com descrições erradas podem gerar reclamações, inclusive no Procon

» Atualize o site: se o consumidor perceber que a página está desatualizada, ele perderá o interesse

» Seja claro e intuitivo: tente manter um padrão de organização das informações para que, depois de ver o primeiro produto, o cliente saiba onde encontrar as informações dos outros itens oferecidos

» Tenha um processo simples para as vendas: isso evita que o consumidor desista de comprar e procure outro local para adquirir o produto

» Formas de pagamento: lembre-se de que, se for uma transação via cartão de crédito ou de débito, há uma taxa para pagar

» Esteja presente nas redes sociais: principalmente nas mais acessadas, como Twitter e Facebook, isso permite uma divulgação rápida e barata

» Não dificulte o contato: deixe seu telefone, e-mail, fax etc. Esses canais possibilitam que o cliente possa tirar dúvidas e/ou adquirir outros produtos

» Consulte um contador: converse com ele para entender os impostos e as taxas, pois elas determinarão os preços e o lucro.

» Não coloque fotos que não sejam do produto: não iluda o cliente. Pegar uma imagem qualquer na internet e colocar como sendo sua pode acarretar problemas jurídicos de direitos de imagem

» Lembre-se de que imagem é tudo: a apresentação dos produtos deve ser feita com fotos que o valorizem




COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

*Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Leia também

Receba gratuitamente nosso boletim de artigos e notícias em seu e-mail