×
Siga-nos:
Classe Contábil
PUBLICADO 7 meses ATRÁS.

Cinco principais erros ao preencher a DASN-MEI e como evitá-los

O prazo para a entrega da Declaração Anual do Simples Nacional – Microempreendedor Individual (DASN-MEI) se encerra no dia 31 de maio. Para quem deixou para a última hora, a pressa vira inimiga da perfeição. Por isso, o Classe Contábil reuniu os cinco principais erros que o empreendedor comete ao preenchê-la para que você possa evitá-los e não entrar na estatística daqueles que entregam a declaração anual com erros e enfrentam muitas dores de cabeça.

Créditos: Pexel

Erros de digitação

A declaração anual do MEI é bastante simples de ser preenchida. Nela, basicamente, há dois campos: o valor bruto de faturamento e se houve ou não funcionários contratados. Mas não se deixe enganar, aí estão as maiores chances de erros bobos, como os de digitação, aconteçam. Por isso, cheque mais de uma vez todos os números digitados, incluindo pontos e vírgulas, para que não haja erro na hora de enviar os valores corretos. Uma simples vírgula pode transformar um valor de R$ 50 mil em R$ 5 mil. E isso pode ser um problema e tanto para você se explicar depois.

Omissão de rendimentos

Esse é o erro mais comum entre aqueles que fazem a declaração anual do MEI pela primeira vez. Omitir algum rendimento, seja lá por qual razão for, é o maior dos problemas. Para aqueles que emitem notas fiscais, o trabalho é mais simples: basta somar as notas emitidas e verificar qual é o seu faturamento bruto. Principalmente no período de regularização, é comum que muitos empreendedores deixem de emitir notas e, depois, esqueçam de contabilizar também esses rendimentos. Não caia nesse erro. A declaração deste ano deve conter todos os recebimentos, com nota ou não, compreendidos entre 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2017.

Fazer uma declaração imprecisa

A contabilidade da sua empresa deve ser feita mês a mês. Desse modo, na virada do ano você já tem os dados disponíveis para fazer a soma da receita bruta e entregar a declaração o quanto antes. Muitas pessoas deixam de lado esse trabalho mensal ou não procuram o auxílio de um profissional de contabilidade para tirar as suas dúvidas. Por conta da falta de organização, valores imprecisos podem acabar sendo declarados. Com isso, aumentam os riscos de que a Receita Federal encontre algum dado incompatível ao cruzar as informações.

Crescimento do patrimônio

Se o seu patrimônio não condiz com os valores que você recebeu ao longo do ano ou se o crescimento foi muito acima da média dos anos anteriores sem uma justificativa plausível, esse é um sinal de alerta para o governo. Não adianta tentar ocultar algum bem ou rendimento da Receita Federal. O rendimento declarado na sua atividade como MEI deve ser compatível com aquilo que você apresentou na sua Declaração de Imposto de Renda. Se você faturou os R$ 61 mil anuais (R$ 81mil a partir de 2018) – limite para o MEI – então a sua declaração de IR deve refletir isso, ou caso contrário estará diante de uma incompatibilidade.

Não entregar a declaração no prazo

O prazo de entrega da declaração anual do MEI é amplo: ele começa em janeiro e se estende até o final de maio. Porém, tanta flexibilidade em alguns momentos pode jogar contra, já que diversos empreendedores deixam para fazer isso nos últimos meses do ano. Assim, ir deixando para a última hora pode colocar você à mercê de algum imprevisto e, em razão disso, o prazo pode ser perdido. Portanto, se a sua declaração ainda não foi entregue, programe-se para fazer isso nesta semana. Não deixe para o último dia, até para que você tenha tempo de revisar os dados com calma.

 




COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

*Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Leia também

Receba gratuitamente nosso informativo de artigos e notícias em seu e-mail