×
Siga-nos:
Classe Contábil
PUBLICADO 9 meses ATRÁS.

As mulheres na Contabilidade

A palavra do momento está incorporada em todos os meios de comunicação. No dia a dia nos deparamos com relatos, depoimentos e casos de sucesso de mulheres que saíram da zona de conforto e foram conquistar o que lhes é de direito: a equidade de gêneros.

Essa equidade pode ser observada em mulheres que ocupam, atualmente, importantes cargos no país, antes liderados por homens, como é caso, por exemplo, das atuais presidentes do Supremo Tribunal Federal, Carmem Lúcia; do Superior Tribunal de Justiça, ministra Laurita Vaz; da Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge; e da subsecretária de Contabilidade Pública da Secretaria do Tesouro Nacional do Ministério da Fazenda, Gildenora Batista Dantas Milhomem. E na Contabilidade não poderia ser diferente. As profissionais estão assumindo importantes cargos no Sistema CFC/CRCs como, por exemplo, a presidência dos Regionais.

Uma pesquisa realizada pelo Conselho Federal de Contabilidade, em 1996, apontou que a participação da mulher no cenário contábil era de 27,45%, enquanto a dos homens era de 72,55%. Após 22 anos, os profissionais da contabilidade com registro ativo representam 536.240 mil. Desses, 307.789 (57,02%) são do sexo masculino e 230.451 (42,98%) são do sexo feminino. E esse número não para de crescer.

Nas eleições do Sistema CFC/CRCs, realizadas em outubro de 2017, elas tiveram papel importante na escolha dos futuros representantes. E o resultado, trouxe uma boa surpresa: pela primeira vez na história dos 27 Regionais, sete deles – CRCMG, CRCMS, CRCPA, CRCPB, CRCRR, CRCRS e CRCSP – estão, atualmente, ocupados por mulheres.

No Conselho Federal de Contabilidade (CFC), o histórico da liderança feminina ocorreu na presidência da contadora Maria Clara Cavalcante Bugarim que, por dois mandatos (2006 -2010), deixou um legado que até hoje é lembrado por grandes profissionais da área. E, nesses últimos anos, várias profissionais assumiram postos de chefia e vêm demonstrando que é possível liderar e realizar grandes feitos em prol da classe.

Na atual gestão do CFC, um time de quatro mulheres compõe o Conselho Diretor da entidade, que é formado por oito vice-presidências mais a representante dos técnicos em Contabilidade. As três contadoras que ocupam os cargos são: a vice-presidente de Desenvolvimento Profissional, Lucélia Lecheta; a vice-presidente de Controle Interno, Lucilene Florêncio Viana; a vice-presidente de Fiscalização, Ética e Disciplina, Sandra Maria Batista; e a técnica em Contabilidade Maria Perpétua dos Santos. Embora se perceba um avanço da participação da mulher nos cargos de liderança, há, ainda, um longo caminho a ser percorrido.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), no setor público as mulheres representam apenas 21,7% dos cargos. Na média elas ganham 76% do salário dos homens em cargos de gerência, na direção esse número cai para 68%.

No cenário contábil, a crescente participação e contribuição da mulher em debates públicos e na tomada de decisões são fundamentais para o crescimento social e econômico do País. Desde a criação do projeto Mulher Contabilista (1991), mantido pelo CFC, que elas vêm apresentando contribuições que envolvem o empreendedorismo e o importante papel da mulher no contexto social, político e econômico. O empoderamento veio para ficar, estabelecendo lideranças corporativas de alto nível para a igualdade de gêneros.

Elas, também, lideram o Sistema CFC/CRCs

Saiba o que pensam cinco das sete contadoras que assumiram a presidência dos Conselhos Regionais.

CRCMG
Rosa Maria Abreu
“As habilidades inerentes ao universo feminino, como sensibilidade e cuidado, agregam valor à profissão contábil, como um diferencial que vai além dos conhecimentos técnicos exigidos. É de se esperar que as mulheres, ao escolherem uma carreira, vejam a Contabilidade como uma opção genuína. E um maior número de representantes femininas em cargo de liderança ainda incentiva cada vez mais mulheres a participarem dos movimentos de interesse da classe. A profissão contábil só tem a ganhar com esse novo cenário.”

CRCMS
Iara Sonia Marchioretto
A presença da mulher no Sistema Contábil Brasileiro, ainda que singela, representa a quebra de paradigmas e a valorização da profissão contábil, em especial em um momento econômico em que se busca indubitavelmente, o resgate de alguns valores como o compromisso e a transparência, o que só aumenta a nossa responsabilidade.

CRCPB
Vilma Pereira de Souza Silva
Comemoramos hoje o dia Internacional da Mulher, data que simboliza a luta, a vitória e as conquistas alcançadas pelas mulheres na sociedade, provando com excelência que não existem distinções de sexo quando o assunto é o desenvolvimento e a evolução humana.

Mulheres maravilhosas, é com o senso de justiça, determinação e coragem que podemos conquistar os nossos objetivos, sejam eles profissionais, sociais ou políticos.

Juntas alcançaremos horizontes não imaginados por nossas pioneiras, honrando com a tradição de luta e superação feminina frente a qualquer obstáculo.

CRCRS
Ana Tércia
Importância do papel da mulher no cenário contábil. O momento que estamos vivenciando na Contabilidade em termos de protagonismo feminino, reflete a realidade da mulher na política nacional e mundial.

Embora em número expressivo no mercado, ainda somos poucas na liderança empresarial e política. Por isso, entendo como altamente relevante a chegada de mais mulheres à presidência dos Conselhos de Contabilidade e de outras entidades empresariais. Precisamos gerar informação e cases de sucesso que desmistifiquem os “fantasmas” que rondam a chegada de uma mulher aos altos escalões das organizações.

Nosso desafio é mostrar a competência, habilidade de liderar e empreender, não pelo fato de ser mulher, mas pelo fato de estudarmos, termos experiências e estarmos preparadas para os desafios. Somos tão capazes quanto qualquer profissional; só precisamos acreditar. Não se trata de competição, mas, sim, de senso de oportunidade. Sentir-se capaz é o primeiro passo. Autorizar-se ao sucesso. O protagonismo não se ganha de presente, conquista-se na árdua batalha da intelectualidade e da capacidade de fazer mais e melhor.

CRCSP
Márcia Alcazar
“Estamos muito felizes e orgulhosos de poder representar as mulheres profissionais da contabilidade paulista. Sabemos que esta é uma conquista inédita e importante para nós mulheres e ao assumir a presidência do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo representaremos sempre os profissionais da contabilidade de todos os gêneros.”

Por Fabrício Santos
Comunicação CFC




COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

*Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Leia também

Receba gratuitamente nosso informativo de artigos e notícias em seu e-mail